sexta-feira, julho 31, 2009

TEMPO DE TRANSCENDÊNCIA

A vida tem tantos tesouros



A vida é um fio de navalha e temos que andar por este caminho com cuidado extraordinário e com uma sabedoria flexível.
A vida é tão rica, tem tantos tesouros, nós vamos até ela com o coração vazio; não sabemos como satisfazer nosso coração com a abundância da vida. Somos pobres interiormente, e quando as riquezas nos são oferecidas, nós recusamos. O amor é uma coisa perigosa, ele traz a única revolução que dá felicidade completa. Tão poucos de nós são capazes de amar, tão poucos querem amar.

Krishnamurti

"Desejo que os que procuram me compreender sejam livres, não me sigam, não façam de mim a gaiola que se converterá em religião, em seita. Desejo que sejam livres de todos os medos - do medo da religião, do medo da salvação, do medo da espiritualidade, do medo do amor, do medo da morte, do medo da própria vida.
Krishnamurti nasceu em 1895, na Índia, e a partir de 1909, foi educado e preparado durante 18 anos pela Sociedade Teosófica para assumir o papel do Novo Messias (para tal, ele foi colocado como dirigente da “Ordem da Estrela”).No encontro do ano de 1929, em Ommen, na Holanda, quando iria assumir oficialmente o papel de Instrutor do Mundo, diante de uma audiência de 3000 pessoas, Krishnamurti dissolveu a “Ordem da Estrela” e devolveu as doações de propriedades e dinheiro arrecadados para que ele desempenhasse o papel que dele se esperava.
Os membros da Sociedade Teosófica estavam preparados para seguir sejam lá quais fossem os ensinamentos do Novo Messias, menos isso que ele estava dizendo: para descobrirem a verdade por si mesmos. Proferiu o que ficou conhecido como o “Discurso de Ommen”, onde disse que “a verdade é uma terra sem caminho” e que nenhuma organização poderia levar o homem à espiritualidade: “Se uma organização for criada com esse propósito ela se tornará uma muleta, uma fraqueza, uma escravidão, mutilará o indivíduo e o impedirá de crescer, de estabelecer a sua unicidade, que se encontra no descobrimento, por ele mesmo, desta verdade absoluta e incondicional”.



quarta-feira, julho 29, 2009

Biografia de Jiddu Krishnamurti

Jiddu Krishnamurti nasceu na Índia em 1895. Com a idade de 13 anos passou a ser educado pela Sociedade Teosófica, que o considerava um dos grandes Mestres do mundo. Krishnamurti em breve viria a emergir como um Mestre extraordinário e inteiramente descomprometido. As suas palestras e escritos não se ligam a nenhuma religião específica nem pertencem ao Oriente ou ao Ocidente, mas sim ao mundo na sua globalidade:

SENSIBILIDADE

Nunca nos escutamos. Só sabemos dizer: “Devo, não devo, isto é correto, isto é incorreto, isto é bom, isto é mau, devo adaptar-me a isso, devo fazer isto ou não quero fazer isto”. É só o que sabemos dizer. Nunca escutamos a nós mesmos – com zelo, com cuidado, de modo que cada coisa,cada detalhe seja revelado. E esse é o começo do autoconhecimento. Se não há autoconhecimento, não temos base para qualquer ação, porque então toda ação conduz à angústia, ao desespero.

Dr. Adão Nonato - Como as Palavras Influenciam seu Destino


Muito mais do que uma simples onda sonora, a palavra é uma energia viva que circula no ambiente e na mente das pessoas. Dr. Adão Nonato reforça a importância da virgila em tudo o que se diz. Durante a palestra, o psicólogo e comunicador espírita orienta porque é importante fazer o uso correto das palavras.

terça-feira, julho 28, 2009

VOCÊ É O OUTRO

Pergunta: Quero ajudar as pessoas, servi-las. Qual é o melhor jeito?
Krishnamurti: A melhor forma é começar a entender você mesmo e mudar a si próprio. Neste desejo de ajudar alguém, de servir outra pessoa, há um orgulho, uma vaidade escondida. Se você ama, você serve. O clamor de ajudar nasce da vaidade.

A ARTE DE VIVER - EPITETO

Por piedade em nome dos deuses, saiba que a coisa mais importante é esta: ter as opiniões corretas sobre eles - que eles existem, e que eles governam o universo bem e justamente - e que você concorda em obedecê-los, e aceitar tudo o que acontece, seguindo os eventos com uma mente livre, na crença de que eles estão preenchidos pela mais elevada das mentalidades. Porque assim você nunca irá culpar aos deuses, nem acusá-los de se esquecerem de você. Mas isto você não é capaz de alcançar, a menos que você aplique o seu conceito de bem e mal apenas naquelas coisas que se encontram debaixo do seu poder, e não naquelas que estão fora do seu poder. Porque se você vier a aplicar a sua noção de bem e mal a estas últimas (coisas), então, assim que você não conseguir obter aquilo que deseja ou em evitar aquilo que quer afastar, você certamente irá culpar e odiar aqueles que você considera responsáveis (pela situação). Cada criatura viva tem uma tendência natural para evitar e rejeitar aquilo que lhe parece nocivo e tudo que conduz a isto e em perseguir e admirar aquilo que é útil e tudo que conduz a isto. Portanto não é possível para aquele que pensa que está sendo prejudicado, sentir prazer naquilo que pensa ser o autor do dano, mais do que tomar prazer no próprio dano. Este é o porque do pai ser vilipendiado pelo filho, quando ele não dá ao seu filho uma porção daquilo que o filho considera ser boas coisas; assim Polycines e Eteocles desenvolveram uma inimizade mútua ao pensar que o trono de um rei era uma coisa boa. Este é o porquê do lavrador, do marinheiro, do mercador e todos aqueles que perdem esposa ou filho, acusam e vilipendiam os deuses. Porque a religião dos homens é mantida pelos seus interesses. Portanto, aquele que toma por preocupação o direcionamento correto da sua vontade em obter ou em evitar, está consequentemente fazendo da piedade a sua (mais importante) preocupação. Mas é apropriado, em cada ocasião oferecer libação (oferenda, geralmente na forma de vinho, p. ex. o "gole do santo") e sacrifício e oferecer os primeiros frutos de acordo com o costume dos nossos pais, com pureza e não numa maneira desmazelada e descuidada, sem avareza nem extravagância.

A Arte de Viver – Epiteto.

sexta-feira, julho 24, 2009

Dramas de Controle

A energia flui entre as pessoas e os psicólogos buscam um motivo: dominar o outro faz o dominador se sentir poderoso e esperto, mas surge a energia vital dos que estão sendo dominados. Quando alguém domina fisicamente a gente, retira nossa capacidade de pensar, ficamos sem energia e sem clareza mental para combatê-la. É o resultado da sensação de insegurança e da necessidade de roubar energia dos outros para se sentir bem.


segunda-feira, julho 20, 2009

AOS "LIVRE PENSADORES"

Gostaria de tratar sobre a desmedida falta de compreensão que demonstramos quando depois de tantas leituras, tantas buscas pela harmonia interna e autoconhecimento, alguém lança em um simples dialogo uma frase cujo sentido era mais ou menos este:
“... Afirmo que a generalidade da humanidade nada recolherá de experiências positivas, após seu desencarne...”
Cabe enfatizar que no diálogo se fazia menção às experiências recolhidas à transcendência subjetiva de cada ser humano (humanidade), com vistas à iluminação futura dos seres humanos.

quarta-feira, julho 15, 2009

BARAKA


Filmado em 24 países, Baraka desperta a curiosidade sobre as diferentes culturas, mostrando rituais religiosos e fenômenos da natureza. O filme ficou pronto depois de 11 anos. Baraka é uma palavra Sufi que significa "o fôlego da vida". Baraka é uma antiga palavra com significados em várias línguas que pode ser traduzida como benção ou como o sopro ou a essência da vida de onde se desencadeia o processo da evolução. Baraka, através de uma turnê poética e transcedental em 24 países, em seis continentes do globo, é de tirar o fôlego. Ambientado ao som de ritmos vívidos de vários rituais religiosos e ao próprio som da natureza, Baraka é a reprodução visual da ligação humana com a Terra. Ao visitar lugares tão diversificados como China, Brasil, Kwait e a maior parte das paisagens dos EUA e da Europa, dentre outros países, Baraka captura não só a harmonia, mas também a calamidade existente na humanidade e na natureza. Entretanto, meras palavras não fazem jus ao filme - Baraka deve ser visto, sentido e vivido para ser compreendido.


A VIDA DE BUDA

Documentário, exibido pelo GNT, da vida de Sidarta Gautama, o Buda Shakyamuni





Somos Nós os Extraterrestres? - BBC Horizon - legendado

A teoria que a vida da terra veio de outros planetas é uma teoria cientifica desde 1960, proposta por Fred Hoyle e Chandra Wickramasinghe, na altura foram ridicularizados pela idéia, mas nos dias de hoje, com cada vez mais evidências a teoria está de volta e está mesmo a ser estudada pela NASA. Neste documentário acompanham uma equipe de cientistas que está a tentar ir até ao início do aparecimento de vida na terra. Desde a equipe no Texas que está a construir um submarino robótico para explorar a lua de Jupiter, até a India onde uma misteriosa chuva vermelha caiu em 2001 durante 2 meses. De acordo com um cientista de renome a chuva continha células biológicas nunca vistas até hoje, sem DNA e com a capacidade de se replicarem a 300ºC, o mesmo cientista concluiu que se tratavam de células de origem extraterrestre. Não perca este fantástico documentário da BBC




domingo, julho 12, 2009

BBC UNIVERSOS PARALELOS

Documentário sobre estudos quanticos das teorias relativa, absoluta, teoria M , Big Bang, super graviton.


sábado, julho 11, 2009

QUE BRILHE NOSSA LUZ

Quanto ainda necessitará o homem, mergulhar na própria escuridão para promover e sustentar sua luz, sem que tenha que tirar a luz dos outros...
Por quantos longos e penosos caminhos teremos que percorrer até que alcancemos a nossa fugidia essência.
Porque fugimos desesperados de nós mesmos? Quantos medos velados se escondem nos cantinhos do nosso ser, e por quantos processos dolorosos eles ficaram lá escondidos, tais como criancinhas apavoradas com tem medo do escuro e refugiam-se em qualquer lugar que lhes signifique algum tipo de segurança.